domingo, 24 de maio de 2009

"Microcontos" no celular

No ano de 2000 em Tóquio, o garoto Yoshi, começou a escrever um romance para adolescentes, o “Deep Love” (“Amor Profundo”) e publicou em um site acessado por celulares ou aparelhos móveis capazes de conectar-se a internet.
As pessoas que acessaram o site leram e gostaram dá idéia do garoto e passaram a ler freqüentemente os Keitai Shosetsu (“literatura no celular”). Logo suas publicações viram sucesso no Japão, ganharão versões em quadrinhos, séries de TV e até cinema.
Para que não tem muito tempo livre, este tipo de leitura será um prato cheio e repleto de variedades.
Quem não gostaria pegar o ônibus e ler em seu celular “microcontos” de romance, aventura, terror enquanto chega ao seu destino?



Eu apoio este tipo de literatura, justamente por ser rápida, simples, agradável e por ser capaz de prender nossa literatura até o final, além disso, poderá despertas nos jovens o gosto pela literatura e pela escrita. Há quem critique as qualidades destas obras, mas como disse Rosely Boschini, presidente da Câmara Brasileira do livro (CBL) “A literatura é a prima pobre das artes, tão pouco divulgada. Então, quanto mais estiver espalhada no juízo e na memória das pessoas, melhor. Melhor para ela, para os leitores e para os autores.”



Fonte: Revista da Cultura – edição 22 – Maio de 2009
Fonte: http://4.bp.blogspot.com/_1WVAKoIpMZ0/SfCblvkHojI/AAAAAAAADvc/1yhYIwoVzJk/s400/mangacelular.jpg
Fonte: http://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://www.blogdoiphone.com/wp-content/uploads/2009/01/investigator.jpg&imgrefurl=http://www.blogdoiphone.com/2009/01/investigator/&usg=__cM4TtiOLjKCE1_DSSbZTDN_KLI8=&h=268&w=490&sz=40&hl=pt-BR&start=94&tbnid=eiQS3YzHpBVBKM:&tbnh=71&tbnw=130&prev=/images%3Fq%3Dquandrinho%2Bno%2Bcelular%26gbv%3D2%26ndsp%3D18%26hl%3Dpt-BR%26sa%3DN%26start%3D90

4 comentários:

  1. Olá Sera!!

    Gostei do seu post, pois ele reforça a idéia de que pessoas que não tiveram muitas chances com editoras, podem encontrar nessa nova alternativa via msn ou internet por celular, uma oportunidade de publicação, e se cair no gosto do povo, as editoras poderão dar uma chance sem medo do fracasso...

    bjos marido!

    ResponderExcluir
  2. Gostei do seu post Serafim... =)

    Eu estava até pensando sobre estes "microcontos" e imaginei este mesmo destino para nossas fotonovelas, feitas para o professor Caldeira.

    Parabéns Serafim.. \o

    ResponderExcluir
  3. Bem legal

    A arte vai se adaptando há o tempo que ela está, vivemos hoje em uma sociedade muito rápida, onde temos que trabalhar, estudar, ser filhos, pais, vizinhos, parentes, amigos, ter vida social, fazer um futuro, sempre estar aprendendo a manipular as novas tecnologias e o tempo é escasso, vejo essa leitura pelo celular sendo bem próxima do gibi, alias quem nunca leu turma da Mônica. hahahh

    abraço

    ResponderExcluir
  4. Qualquer meio que ajude a divulgar a literatura é sempre bem-vindo.
    Desde já vocês estão intimados a realizar estas fotonovelas para celular. Quem deflagra o processo?

    ResponderExcluir